Carros chineses e a briga com os nacionais

Uma coisa é certa: os carros chineses têm causado uma verdadeira revolução no mercado interno.

Tal qual foi em 1990 quando o presidente Collor abriu o nosso mercado aos carros importados. Foi um frisson! As quatro grandes até então (Ford, Fiat, General Motors e Volkswagen) ficaram alvoroçadas. “Por supuesto”! Os importados chegavam trazendo mais tecnologia embarcada, mais segurança, conforto e…. porque não dizer…. preço mais em conta.

Até 1989 nossos carros não dispunham de injeção eletrônica. Isso era privilégio de poucos:Gol GTi (o primeiro esportivo com injeção eletrônica analógica, até então), se não me engano uma versão do Monza e uma do Santana, ambas de preços altíssimos, pois eram carros de luxo e para poucos.

Aí chegaram os importados. Quem tinha dinheiro, é claro, não iria deixar de comprar uma BMW, Mercedes, Volvo, Audi, etc… para comprar Monza, Santana, Del Rey e Opala 4.1cc!

Os primeiros, mesmo naquela época, já eram dotados de freios ABS, air bag, freios a disco nas quatro rodas, injeção eletrônica (enquanto nós ainda usávamos o ultrapassado carburador) e alguns modelos mais sofisticados da Mercedes e BMW, até de controle de tração.

Foi então que pudemos constatar o quanto nossos carros eram ruins. Mais uma prova de que tudo é relativo.  Até a chegada dos importados nossos carros estavam pra lá de bons. Mas a partir de então tivemos acesso ao que era bom. Quem tinha dinheiro, pagava e desfrutava. Quem não tinha, sonhava!

A partir daí as montadoras nacionais acordaram e resolveram se mexer. Não demorou muito e o carburador foi aposentado, dando lugar à injeção eletrônica. Depois as montadoras melhoraram a qualidade do acabamento. Mas depois de um certo tempo as coisas se acomodaram e meio que tudo voltou a ser muito parecido com o que era antes.

A Volkswagen por exemplo, que parece dormir em berço esplêndido e viver às custas da fama do passado, insiste em oferecer veículos pobres de acabamento e de preços altíssimos. Para comprovar o que estou dizendo, basta comparar os preços dos carros básicos, por exemplo, comparar o Palio Elx 1.4 com o pacote attractive (ar-condicionado, direção hidráulica entre outros ítens) com o Gol 1.6. O Gol é bem mais caro e não oferece tanto quanto o Palio.

E agora para tirar o sossego de quem está acomodado, deitado em berço esplêndido, chegam as chinesas oferecendo bem mais – principalmente em termos de equipamentos de série – por bem menos ou, no mínimo, por quase o mesmo que as principais concorrentes nacionais.

Mas agora a preocupação é outra, muito por causa da mídia: a qualidade dos carros chineses.

Ora, ora… estão preocupados com a qualidade dos carros chineses? E com a qualidade dos carros brasileiros? Ninguém se preocupa? Basta entrar num Celta pra  ver! Plástico duro do começo ao fim.  E o Fox antes de ser remodelado? Tecido só nos bancos e olha lá, além de um painel ridículo! Se brincar até uma C100 Biz tinha um painel mais elaborado!

E se vocês olharem um Ford Ka, verão que a tonalidade da pintura na parte interna do capô do motor é diferente da parte externa. Ou seja, se o seu Ford Ka for pintura metálica, o capô, por dentro, será um cinza fosco; tudo em nome da redução de custos.

Os carros chineses podem não ser uma primazia em acabamento. Mas os nossos nacionais também não estão muito à frente não. Carro chinês eu ainda não tive e nem dirigi; mas nacionais já tive alguns, principalmente nas versões mais “pobres” e básicas, e pude comprovar o quão ruim é o acabamento deles.

Para início de conversa, todos os chineses que aqui desembarcam já vêm com air-bag e freios com sistema ABS, além de direção hidráulica, ar-condicionado, vidros e travas elétricas; ou seja, para o padrão que estamos acostumados, eles já vêm completos.

Agora veja se o Gol ao menos oferece air-bag e ABS? O Palio eu sei que pode ter air-bag, mas somente como opcional; e vá ver quanto custa!

Do meu simplório ponto de vista, o único problema dos chineses hoje em dia é a continuidade da manutenção; acabamento deficiente? Basta olhar os nossos nacionais de entrada!

Anúncios

Sobre lcnoliveira

Um motorista comum mas muito interessado no universo automotivo.
Esse post foi publicado em automóveis. Bookmark o link permanente.

4 respostas para Carros chineses e a briga com os nacionais

  1. Francineide disse:

    Qual o carro vc recomenda para alunos que acabaram de sair da auto-escola, usado completo ou Zero basíco ?

    • lcnoliveira disse:

      Olá Francineide. Obrigado por visitar meu blog.
      Respondendo à sua pergunta, depende muito do perfil do comprador. Se você é daquele comprador que não dispõe de muito dinheiro e não está querendo se preocupar com defeitos e além do mais, alimenta o sonho do carro zero, eu te recomendo o zero básico.
      Mas se o seu perfil for daquele motorista que gosta de conforto, potência, luxo e segurança, – mas não pode comprar um zero bala nessas condições, eu recomendo então o usado – ou melhor, o semi-novo, completo.
      Eu particularmente prefiro um semi-novo completo e com motor potente a um carro 1.0 básico e zero km.

  2. Raquel Silveira disse:

    Não entendo pq essa super valorização diante da Ford, Fiat, Volkswagen e Chevrolet! todas elas possuem montadoras no Brasil e não fábricas… ai eles me veem com esse papinho de produto genuinamente brasileiro!afff
    Eu trabalhei na FIAT e ja vi cada merda… ninguém fala… mas devido as utilização de 4 tipo de combustíveis ocrrem reações químicas que entopem os bicos injetores. Ai de meses em meses o consumidor tem de ir a concessionária e comprar um novo jogo que contem 4 bicos, ja que a empresa não vende a unidade. Resumindo o consumidor vai arcar com esse custo para o resto da vida, sem saber que foi um erro de cálculo da própria montadora.

    • lcnoliveira disse:

      E o que eu acho mais ‘interessante’ ainda: a mídia fala tanto do acabamento dos carro chineses, de peças mal feitas e encaixes deficientes e tal…. como se os nacionais de preço equivalente fossem um primor nesse quesito.
      Entre num Classic 1.0 pra entender o que estou falando… ou num Celta. Plásticos duros, feios, que são capazes de serem arranhados até se a nossa unha raspar no painel!
      Obrigado pela sua visita e pelo seu comentário!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s